O que fazemos

O GNova estrutura-se a partir de três eixos de atuação: experimentação, prospecção e disseminação. O eixo de experimentação é predominante na atuação do laboratório, reunindo 70% de suas ações e projetos.

Há também uma linha de ação que perpassa todos os projetos do laboratório em todos os três eixos: a formação das equipes participantes ao longo do processo (learning by doing). A geração de capacidade institucional para inovação tem-se mostrado um eixo transversal à atuação do GNova pela importância que essa formação adquiriu nos projetos desenvolvidos e pelo impacto em termos de mudança de comportamento nas equipes envolvidas, conforme evidenciado em entrevistas realizadas com instituições que já trabalharam em conjunto com o laboratório.

Confira um pouco mais sobre cada um os eixos de atuação do Laboratório:

Experimentação

O que caracteriza um experimento é o objetivo claro de aprendizagem, por parte da equipe, sobre o objeto foco da inovação, o que implica: (i) definir esse objetivo desde o início; (ii) discutir as expectativas das equipes em relação à resolução do problema; (iii) definir e expor o passo-a-passo que será executado, bem como os riscos envolvidos no processo; (iv) monitorar, durante o processo, os produtos e o atingimento de objetivos; e finalmente, (v) voltar à primeira definição, avaliar o que foi aprendido e corrigir erros. A experimentação ocorre em um espaço seguro, a certa distância do cotidiano, com o objetivo de gerar ideias úteis que atendam às necessidades de usuários e demonstrem sua eficácia.

Prospecção

A busca constante por atualização de conhecimentos e criação de incentivos para a sua utilização por parte dos servidores constitui um dos eixos de atuação do GNova.

Manter-se aberto a novos conhecimentos, incorporar a prospecção de novos serviços, de tecnologias e temas fronteiriços ao setor público e cultivar redes com múltiplas especialidades propiciam ao GNova conhecimentos e experiências que apoiam a disseminação de inovações para diferentes públicos, como cidadãos, servidores, pesquisadores e docentes.

Disseminação

A disseminação, aspecto chave para a geração de inovação, enfoca os processos pelos quais uma inovação é comunicada e é adotada ao longo do tempo pelas equipes. Envolve trabalho prévio, a prospecção de informações sobre as características da inovação, suas vantagens, e o conhecimento sobre seus efeitos, características essas nem sempre disponíveis ou de fácil acesso a servidores. As ações de disseminação do GNova visam, por um lado, reunir informações estratégicas e comunicar quais são as inovações com maior potencial em determinadas áreas do setor público e quais são os principais desafios para a sua adoção; e, por outro, estão voltadas à geração de capacidades de servidores públicos para construir novas respostas e gerar novos conhecimentos para problemas complexos, com vistas a fortalecer a construção de um ecossistema de inovação.

Fluxo de Projetos GNova

A entrada de projetos no laboratório obedece a um protocolo: após o contato inicial, é realizada uma reunião com os demandantes para entendimento do problema e análise da adequação da proposta aos objetivos e à missão do laboratório (para tal finalidade, foram desenvolvidos um roteiro de perguntas ao demandante e uma ficha de critérios de análise das respostas, para fins de priorização). Após essa fase, caso o projeto seja aceito pelo laboratório, o GNova envia uma proposta ao parceiro, com definições de escopo e plano de trabalho. Se a proposta for aprovada pela instituição parceira, é realizado o planejamento das atividades.

Confira abaixo o fluxo detalhado de gestão dos projetos GNova, abrangendo as etapas de seleção, entrada, acompanhamento e fechamento de projetos: