Promoção de Cidadania Financeira com o Banco Central

Ciente da responsabilidade do governo em garantir as condições necessárias para que essa cidadania financeira seja plena, o Departamento de Educação Financeira do Banco Central do Brasil procurou o GNova para repensar os avanços, obstáculos e desafios que envolviam o tema.

O projeto teve como objetivo expandir/ampliar, para a equipe do Bacen, o rol de possibilidades de ações para a promoção da cidadania financeira.

Escolheu-se um problema/desafio para trabalhar: “Parcela expressiva da população brasileira não se planeja”, o qual foi aprofundado por meio de discussões e de pesquisa prática. A pesquisa foi desenvolvida em cinco localidades de três estados, em grupos de duas a quatro pessoas: em Águas Lindas—GO, na rodoviária do Plano Piloto-DF, em Ceilândia-DF, na rodoviária do Tietê-SP e em Taguatinga-DF.

Após a pesquisa de campo, o grupo trabalhou os dados, insights e compreensões sob a perspectiva do problema escolhido e resultou em 3 soluções passíveis de implementação: Divulgação de publicidades de conscientização contra o empréstimo de nome; Produto bancário: cartão de poupança-investimento; Desafio BC de Cidadania Financeira — arranjos inovadores de poupança coletiva e reserva de emergência.

Com o objetivo de testar as ideias e conceitos dos protótipos, realizou-se uma apresentação em formato de “pitch” para um “um “tanque de tubarões” em que especialistas e possíveis “compradores” da solução participaram e avaliaram o conceito apresentado.

A equipe incorporou em sua rotina de trabalho aprendizados com a abordagem: “a pesquisa etnográfica é muito essencial. Esse contato com a população te desconstrói. O cidadão/usuário sabe muito mais do que você. ”

Parceiro (s):
Banco Central do Brasil Bacen

Período:
novembro de 2016 a abril de 2017


Palavras-chaves:
cidadania financeira; design thinking; pesquisa etnográfica; design;